LIVRE DE AFTOSA Acir comemora certificação e cobra mais fiscais para defesa agropecuária

O senador Acir Gurgacz (PDT-RO) comemorou nesta terça-feira (3) o anúncio de que o Brasil receberá a certificação de país livre de febre aftosa, com vacinação, em 25 estados, e sem vacinação, em Santa Catarina e no Distrito Federal. Para ele, trata-se de uma conquista da agropecuária que consolida o Brasil como líder na exportação de carne.

Gurgacz destacou que Rondônia é exemplo de avanço e competência na defesa sanitária animal, o que assegura a qualidade da carne produzida, e cobrou a contratação de mais fiscais agropecuários para manutenção do padrão de qualidade. De acordo com o senador, o estado tem o sexto maior rebanho do país, com 14 milhões de cabeças de gado, e é o quarto maior exportador, atendendo a mais de 20 países.

O senador destacou o trabalho integrado dos criadores, com apoio do governo do Estado, através da Idaron, da Seagri e da Emater; do Ministério da Agricultura; e do Fundo de Apoio a Defesa Sanitária Animal do Estado de Rondônia (Fefa), para a vacinação, controle do rebanho, e evolução da qualidade da carne bovina de Rondônia. “Essa parceria está funcionando, hoje a qualidade da carne de Rondônia é reconhecida internacionalmente e temos que reforçar a vigilância para conquistar novos mercados, como o Europeu”, frisou Acir.

De acordo com o senador, esse trabalho começou há 19 anos, e contribuiu de forma decisiva para que o Estado fosse certificado em 2003, pela OIE, como área livre de febre aftosa com vacinação.  “O boi de Rondônia, também chamado de boi verde, pois é criado solto no pasto abundante, está entre os mais cobiçados do Brasil e do mundo. No ano passado, exportamos mais de 300 mil toneladas de carne bovina de qualidade e 40 mil toneladas de miúdos”, afirmou Gurgacz.

O senador disse que o Ministério da Agricultura e o Ministério do Planejamento podem atender ampliar os acordos firmados para melhorar as condições da defesa agropecuária em Rondônia e em todo o país. Umas das medidas é a efetivação dos profissionais aprovados em concurso público homologado no último dia 28 de março deste ano.

“Já fizemos este pedido ao ministro Blairo Maggi, da Agricultura,  e a expectativa é de que os aprovados devem ser convocados até o final de maio, incluindo os 24 médicos veterinários fiscais agropecuários para Rondônia”, frisou Acir. O senador também cobrou o pagamento do adicional referente à atuação na faixa de fronteira para todos os profissionais de Rondônia e a equiparação salarial dos fiscais agropecuários com os auditores da Receita Federal, da Polícia Federal e outras categorias de Estado.

Assessoria de Imprensa: 61 3303-2148

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.