Nova Casa de Apoio é maior e melhor com custo quase igual: conforto e segurança aos pacientes de Vilhena na capital

Abandonado, o local antigo sofria com invasão de ratos, desmoronamento e furtos

                                    Casa de apoio antes da reforma  

  

 

 

 

 

 

 

 

 

 

             Casa depois da reforma 

 

Na tarde desta segunda-feira, 29, o prefeito Eduardo Japonês inaugurou a nova Casa de Apoio, que é bem maior, mais segura e confortável que a antiga, além de custar praticamente o mesmo que o espaço deteriorado usado até então. A Casa de Apoio é a morada de pacientes e acompanhantes de enfermos vilhenenses que precisam se tratar na capital e não têm como pagar hotel,alimentação e táxi.

Sofrendo com invasão de ratos, desmoronamentos, furtos, camas quebradas, móveis sucateados e abandono, os pacientes respiraram aliviados com a inauguração da nova Casa de Apoio.

Com 11 quartos, garagem, cerca elétrica, sistema de monitoramento, alarme, ar-condicionados, placas de energia solar, poço artesiano, portões eletrônicos, área de convivência e mobílias novas, a casa é uma verdadeira “mansão de apoio”, que atenderá 50% mais pacientes em uma estrutura invejável apesar de ter o valor de aluguel apenas 5% maior que a anterior.

“Essa é uma conquista para nós. É uma obrigação minha oferecer mais dignidade aos pacientes de Vilhena, já que a Saúde é nossa prioridade na gestão. Queremos fazer com que todos se sintam bem aqui e possam se recuperar com qualidade”, explicou o prefeito Eduardo Japonês.

Na cerimônia de inauguração estiveram também o deputado estadual reeleito Luizinho Goebel, os secretários de Saúde, Afonso Emerick, de Assistência Social, Patrícia da Glória, de Planejamento, Ricardo Zancan, e os vereadores Adilson de Oliveira, Ronildo Macedo, Wilson Tabalipa e França Silva, bem como a coordenadora do local, Elisseia Moura.

PASSADO NEGRO – “A Casa de Apoio foi desvalorizada por muito tempo, ficou em situação de abandono. Não tinha condições de atender a população, não tinha janelas, as camas eram apoiadas em tijolos ou estavam quebradas, quartos se tornaram depósitos, houve invasão de ratos, furtos e até desabamento do teto”, relembra Elisseia.

Ela garante que o espaço é de extrema necessidade para os pacientes, visto que a maioria não tem recursos financeiros e a casa oferece hospedagem, café da manhã, almoço, café da tarde, janta, transporte e segurança de graça.

São atendidas pessoas de todas as idades pelos 7 servidores do local, sendo uma enfermeira que dorme na casa e realiza curativos, aplica medicamentos e cuida dos pacientes da casa sempre cheia. A antiga atendia 40 pessoas e esta poderá receber até 60 pacientes.

O processo para aquisição da nova estrutura da casa levou cerca de dois meses e foi realizado pela gestão de Eduardo Japonês. “Os servidores nunca viram um prefeito tão preocupado e sensível às questões da Casa de Apoio. Estamos muito felizes com essa conquista”, revela Elisseia.

Da assessoria

 

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.