POLÍCIA DO PARANÁ OUVE DEPOIMENTO DE EMPRESÁRIO QUE CONFESSOU TER MATADO E CORTADO PÊNIS DE JOGADOR DE FUTEBOL

Detido na quinta-feira, Edson afrimou que esfaqueou e espancou Daniel porque o atleta tentou estuprar sua mulher

SÃO PAULO – O empresário Edson Brittes Junior, que confessou ter matado o jogador de futebol Daniel Corrêia Freitas, com passagens por São Paulo e Curitiba, será ouvido pela Polícia Civil do Paraná nesta segunda-feira. Detido na quinta-feira, Edson afirmou que esfaqueou e espancou Daniel porque o atleta tentou estuprar sua mulher.

Cristiana Brites, mulher de Edson, e Alana, filha do casal, também foram detidas na semana passada e devem prestar depoimento nesta segunda-feira. Os investigadores também querem saber se, antes de confessar o crime, Edson e sua família tentaram coagir testemunhas para acobertarem o homicídio.

Na noite de 26 de outubro, Daniel foi à festa de Alana em uma casa noturna de Curitiba. Parte dos convidados seguiu para a casa de Edson na manhã seguinte, quando o crime aconteceu.

Em um vídeo que foi divulgado pelo programa “Brasil Urgente”, da Band, o empresário afirma que ouviu gritos da sua mulher vindos do quarto do casal, cuja porta estava trancada. Após arrombar a porta, ele encontrou Daniel sem roupas deitado sobre Cristiana, que se debatia.

– Foi quando eu tirei ele de cima da minha esposa, joguei ele no chão e evitei que ela fosse estuprada por esse monstro canalha – disse o empresário, no vídeo.

De acordo com o relato do empresário, Daniel foi espancado ainda dentro da casa. Depois, já desacordado, ele foi colocado no porta-malas do carro de Edson, com a ajuda de mais três pessoas, e levado até um matagal em São José dos Pinhais, região metropolitana de Curitiba.

– Eu bati muito nele. Muito, muito. Tirei ele para fora da casa, não sei se estava acordado, desacordado, se só tinha fechado o olho -, afirmou Edison, em entrevista à RPC, afiliada da TV Globo no Paraná.

Antes de se livrar do corpo, Edson teria dado facadas no pescoço e cortado o pênis do jogador.

– Eu não pensava em nada. Eu tinha uma faca no carro, uma faca pequena, que eu usava no carro, que fica junto com as ferramentas no portamalas. Eu não sabia que eu ia fazer aquilo, eu estava desesperado, fora de mim. Olhei no porta-malas e vi o que tinha – afirmou Edson à RPC.

A polícia teve acesso a mensagens que Daniel enviou para amigos antes de ser morto. Nelas, o jogador afirma que manteve relações sexuais com a mulher de Edson. Ele enviou uma foto sua deitado ao lado da mulher, que parecia estar dormindo. Os investigadores tentam descobrir se houve mesmo tentativa de estupro.

Outra linha de investigação adotada pela polícia tenta desvendar se Edson coagiu testemunhas que estavam em sua casa e forjar um depoimento dizendo que Daniel deixou a casa do empresário sozinho. No celular de Alana, os policiais encontraram mensagens em que ela relata essa situação a amigos.

Daniel nasceu em Juiz de Fora (MG) e tinha 24 anos. Revelado pelo Cruzeiro, o meia também passou pelo Botafogo e Ponte Preta. Contratado pelo São Paulo, Daniel estava emprestado ao São Bento, time que disputa a Série B do Campeonato Brasileiro.

Fonte: extra.globo.com

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.